Acesso Visitantes

0
42

Parentes, entregadores, corretores de imóveis, técnicos, entre outros. São inúmeros os tipos de visitantes em um condomínio diariamente, assim, ter um controle de acesso de visitantes é fundamental para evitar falhas na segurança dos condôminos e patrimônio condominial.

Sendo o síndico também responsável por tratar sobre a segurança dos condôminos, a estipulação de regras e de um processo de monitoramento pode vir a ajudar. No entanto, a rigidez no controle de acesso pode causar alguns conflitos e aborrecimentos em relação a moradores e visitantes.

Veja neste post, algumas dicas de como fazer o controle do acesso dos visitantes com mais segurança.

Organização da portaria: use a tecnologia à seu favor

A portaria é fundamental para o bom funcionamento do condomínio. Por isso, é necessário organizá-la de forma que o processo de controle do acesso dos visitantes seja feito de forma ágil e segura.

Essa organização deve ser feita dentro do orçamento condominial, hoje existem no mercado vários tipos de sistemas que possibilitam mais segurança e rapidez para gerir os acessos dos visitantes, mas se acaso esteja fora das possibilidades do condomínio, o controle feito por planilhas de Excel também pode ser eficiente.

Vale ressaltar, que esses tipos de processo devem contar com um treinamento de funcionários para utilizar tais ferramentas, pois é possível que a falta de habilidade dos mesmos, possa gerar enganos ou provocar a entrada de pessoas que não foram autorizadas.

Outra dica útil é providenciar uma lista que contenha uma pré-autorização da entrada dos visitantes que comparecem em sua unidade com frequência para a realização de um cadastro, ou ainda, a apresentação de uma lista de convidados para uma festa.

Controle de acesso: passo-a-passo de como proceder

Mas apenas a organização e uma base de dados não é suficiente, algumas medidas precisam ser tomadas. Antes da liberação, é necessário fazer a identificação do visitante, este deve informar seus dados pessoais, o objetivo da visita, o apartamento a ser visitado e o nome o condômino que possui contato.  

Com essas informações, é necessário que porteiro faça a confirmação com o condômino para permitir a entrada do visitante ao condomínio.  Caso não seja possível entrar em contato para fazer a confirmação, o visitante deve ser impedido de ter acesso.

Em algumas situações, alguns visitantes se dizem moradores ou proprietários de algum imóvel no condomínio, estes devem ser barrados caso porteiro não conheça, sendo necessária a averiguação com síndico, documentos oficiais, ou ainda, na base de dados antes de liberar a entrada.

Dessa maneira, fazer um registro sobre as visitações também é crucial para um controle de informações mais adequado. Os principais os dados do visitante, coletados anteriormente como nome, nº do documento, e qual apartamento visitado, podem vir a ajudar em momentos de emergências.

O acesso dos visitantes pela garagem

Se o acesso dos visitantes acontecer pela garagem, também deve ser seguido todo o processo de identificação pessoal, do imóvel a ser visitado para fazer a confirmação, e nesses casos, também do veículo identificando placa, modelo e cor para serem registrados. Vale ressaltar que se o visitante estiver junto condômino no momento de acesso pela garagem, também deve ser feita a identificação.

Em relação os visitantes fazerem uso da garagem, devem ser proibidos a estacionarem em vagas alheias, mesmo que desocupadas. É importante ressaltar, que com um terceiro fazendo uso dessa área comum, caso ocorra algum acidente, o condomínio pode sofrer algumas complicações e ações judiciais.   

Regras aos visitantes

Regras de convivência em relação aos visitantes também devem ser estabelecidas. Sempre que haja a permanência de mais de um dia no local, é necessário que o condômino comunique  ao síndico, ao porteiro e outros terceiros que receberá visitantes, essa forma é necessário um preenchimento dos cadastros necessários, e que o condômino responsável pela visita a oriente sobre as regras condominiais e de segurança.

Além disso, uso das áreas comuns como piscina ou academia, pode ser restringido ou proibido aos visitantes, como forma de se garantir maior conforto aos condôminos, diminuindo barulho e conflitos, ou por conta do custo de manutenção desses espaços.

Gostou desse conteúdo? Tem muito mais! Fique por dentro de tudo sobre gestão condominial no Síndicos Planning.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário!
Seu nome