Aquecimento de Água

0
31

Uma das maiores dúvidas na hora de comprar um novo apartamento é em relação ao tipo de aquecimento de água que ele contém.  A maioria das construções novas vem com um sistema de aquecimento pré-estabelecido, mas em condomínios mais antigos, o sistema de aquecimento se restringe apenas ao bom e velho chuveiro.

Com o avanço da tecnologia, surgiram inúmeros aquecedores de água que possibilitam mais conforto e economia aos usuários. Mas antes de fazer qualquer alteração, é necessário que o síndico analise se vale ou não a pena investir e quebrar as paredes.

Conheça neste post os principais sistemas de aquecimento de água para condomínio e os benefícios de cada um.

Aquecedores elétricos

Possui duas modalidades de aquecimento, por passagem ou acumulação. Presente na maior parte das residências brasileiras, os aquecedores elétricos por passagem são os nossos conhecidos chuveiros e torneiras elétricas. Neste processo a água é aquecida quando passa por uma resistência elétrica presente dentro do dispositivo seguindo para o consumo.

Sua principal vantagem é a instalação fácil e de baixo custo, sendo necessário apenas a tubulação de PVC comum para levar a água fria até os pontos de consumo (banheiro, cozinha, lavanderia). Em contrapartida a instalação econômica, está o alto consumo de energia elétrica e desempenho inferior se comparado aos outros tipos de aquecedores.

No sistema de aquecimento elétrico por acumulação, a água vai para um tanque térmico chamado de boiler, onde fica armazenada e é aquecida constantemente por meio de uma resistência elétrica que transmite calor para a água. Depois de aquecida, a água é distribuída pela tubulação que, diferente do processo anterior, necessita ser resistente e suportar a pressões e as elevadas temperaturas.

Como a água permanece quente o tempo todo já sai aquecido para uso, não sendo necessário aguardar a vazão da água fria. Além disso, por ter grande capacidade de armazenamento o sistema de aquecimento elétrico por acumulação pode abastecer vários pontos de consumo e também a piscina. Sua principal desvantagem, por trabalhar ininterruptamente, é o alto consumo de energia.

Aquecedores a gás

Os aquecedores a gás podem ser uma alternativa para diminuir o consumo de energia elétrica no condomínio, podendo ser mais vantajoso que o sistema de energia solar, já que o aquecimento feito através de gás não depende de nenhum elemento climático para geração de calor. Nesse tipo de sistema pode se utilizar o gás natural ou o GLP, que são fornecidos por uma empresa terceirizada, e como no sistema o elétrico possuem dois tipos.

O aquecimento por passagem a gás acontece através de um conjunto de serpentinas aonde a água chega fria pelo encanamento. Essas serpentinas estão posicionadas em uma câmara de combustão, e, conforme a água passa, vai ficando aquecida gradualmente, saindo direto para o consumo, assim não há necessidade de um reservatório. O papel do gás, é acender as chamas da câmara de combustão, que é ativada assim que um ponto de consumo de água é aberto.

Por conta do seu tamanho, se comparado ao sistema a gás por acumulação, uma de suas vantagens é a otimização de espaço. O aquecimento é feito imediatamente, mas ao abrir o registro, há primeiro a vazão da água fria que ficou entre o aquecedor e a saída de água (chuveiro ou torneira), que é desperdiçada até que fique quente. Outros pontos a serem considerados, é a necessidade de uma chaminé e o número limitado de pontos de abastecimento.

O sistema a gás por acumulação, como no elétrico, faz o uso de um boiler, que é um cilindro onde a água é aquecida é armazenada. O aquecimento acontece através de uma chama produzida dentro de um tubo presente no interior do boiler. E seu nível de aquecimento pode ser controlado por meio de um termostato, que junto com um revestimento térmico existente dentro do boiler controla e inibe a perda de calor.

Sua principal vantagem além da economia de energia elétrica é o consumo imediato da água, pelo fato de sempre existir água quente armazenada, assim alcança a temperatura desejada para o uso rapidamente, evitando o desperdício de água, como no processo anterior. Outro ponto positivo é sua capacidade de abastecimento que atende vários pontos de consumo, e em volume maior, como abastecimento de banheiras e piscinas. Em contrapartida, por ocupar um espaço maior, seu tamanho pode se tornar uma desvantagem, assim como os custos de instalação e manutenção, que são elevados.

Aquecedores solares

O sistema de aquecimento solar de água é feito através de placas de aquecimentos dispostas à insolação, por isso, normalmente são instaladas em lugares altos, como telhados. Nestas placas de aquecimento percorrem filetes de água que são aquecidos pelo calor do sol e depois transportados para a um tanque (boiler) de armazenamento.

É comum nesse processo fazer o uso simultâneo de algum outro sistema de aquecimento, como de passagem elétrico ou a gás. Dessa forma, a água se mantém quente quando não há a presença do sol para fazer o aquecimento, como à noite ou em dias nublados. Essa combinação de sistemas é chamada de “aquecimento híbrido”.

Esse tipo de aquecimento é considerado fonte de energia limpa e renovável, pois não agride o meio ambiente. E embora o investimento para a instalação dos equipamentos seja alto, pode ser rapidamente recuperado através da economia no consumo de energia elétrica e com o custo de manutenção inferior, se comparado aos outros sistemas de aquecimento.

É importante ressaltar que não se pode afirmar qual sistema é o mais eficaz, pois cada um atende e se enquadra conforme as necessidades de cada usuário, e que a verdadeira economia é com o uso consciente da água.

Gostou desse conteúdo? Tem muito mais! Fique por dentro de tudo sobre gestão condominial no Síndicos Planning.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário!
Seu nome