Churrasqueira e convivência nas áreas comuns do condomínio.

Ter um espaço de lazer e convivência, como uma churrasqueira,  vem se tornando cada vez mais comum nos condomínios. Quem não gosta de receber amigos, fazer um churrasco ou ainda comemorar aquela data especial? Uma das áreas comuns mais solicitados, a churrasqueira precisa de alguns cuidados para que não cause dor de cabeça à ninguém.

Por isso, veja alguns procedimentos que o síndico deve ter em relação à churrasqueira do seu condomínio.

Regras para o uso da churrasqueira

Para o uso dessa área comum ser benéfico a todos, é  fundamental estipular algumas regras de funcionamento e convivência. Para o condômino fazer o uso da churrasqueira, primeiramente deve-se fazer o agendamento antecipado junto ao síndico ou pessoa designada a função. Este, deve tomar cuidado com o número de vezes que cada morador agendou o espaço por mês, para que o uso não seja monopolizado, já que todos condôminos possuem o direito de utilizar o local.

É fundamental também a criação de limites de horários e do som alto. Na maior parte do território brasileiro, a legislação segue o padrão de 22h como limite. Mas em assembleia, o condomínio pode fazer a alteração desse limite para mais cedo ou mais tarde.

Em relação aos convidados, também deve ser estabelecido um limite para lotação da churrasqueira junto com os locais que os convidados poderão ter acesso. Outra ponderação importante é a disponibilização de uma lista de convidados na portaria, para que o controle da entrada dos visitantes aconteça de forma mais segura.

Taxa de limpeza e manutenção

As taxas de limpeza também podem ser estabelecidas, elas ajudaram a custear a higienização e manutenção do espaço, como exemplo, o pagamento de contas de água e luz ou até mesmo a troca de lâmpadas do local.

Na manutenção também é necessário a retirada das cinzas que restaram na churrasqueira após o uso, além dos reparos necessários provenientes do desgaste natural como a pintura ou troca da pedra do acabamento.

Além disso, é importante ressaltar que o condômino usufrutuário, será responsabilizado por custear qualquer dano causado ao patrimônio condominial, seja pela danificação da estrutura ou desaparecimento de objetos, causado por ele ou seus convidados.

Dicas para a implantação da churrasqueira no condomínio

Se o condomínio ainda não possui uma churrasqueira, ou precisa reformar a que possui, é necessária à aprovação da assembleia condominial. Nela, o síndico deve apresentar o projeto da implantação e como o mesmo irá beneficiar a todos.

É importante tomar cuidado para que a fumaça causada pela churrasqueira não incomode nenhum condômino ou vizinho, já na criação do projeto de construção. A mesma não pode ficar próxima às janelas dos imóveis, pois os moradores que se sentirem prejudicados com a fumaça, ou até mesmo o barulho, poderão entrar com uma a ação judicial para proibir seu uso, transformando em vão todo o trabalho do síndico.

Em relação ao espaço, não é necessária uma área muito grande para a instalação, sendo preferível um ambiente aberto, onde a chaminé possa fazer a eliminação da fumaça sem nenhum inconveniente ou obstáculo que bloqueie a saída da fumaça ocasionando a formação de uma cortina de fumaça.

Outra dica é o fazer uso do concreto refratário, que não superaquece a churrasqueira. A instalação é rápida e demora cerca de um dia, possibilitando ainda o acabamento personalizado com pedra ou tinta, conforme decoração do espaço.

As churrasqueiras das varandas

As churrasqueiras das varandas seguem o mesmos princípios, em relação a eliminação da fumaça e das regras de convivência, da churrasqueira da área comum. Mas por estarem anexadas aos imóveis, precisam ser analisadas com mais cuidado ainda.

O ideal seria uma chaminé individual para a churrasqueira de cada apartamento, mas essa medida muitas vezes fica quase inviável por conta da estrutura do edifício.  Para isso, o uso de uma única chaminé para todas as churrasqueiras pode ser uma alternativa. Mas cuidado! Essa sistemática necessita de atenção e de um planejamento especial, para que a fumaça dos andares inferiores não invadam o apartamento superior.

Outra opção ainda seria a utilização de churrasqueiras elétricas, que não necessitam de chaminé para eliminação de fumaça além da otimização de espaços na varanda dos apartamentos.

Gostou desse conteúdo? Tem muito mais! Fique por dentro de tudo sobre gestão condominial no Síndicos Planning.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira seu comentário!
Seu nome